16.11.04

Tigelas














Pratos (2001)
diâmetro: 20 cm
Luciana Chagas













Tigelas (2004)
diâmetro: 13 cm
Luciana Chagas















Tigelas e Copos (2004)
Luciana Chagas

7.11.04

Portfolio (Raku)



















Vaso Raku (1995)
15 cm (alt.)
Luciana Chagas



















Máscara Raku (1996)
Luciana Chagas















Pote Raku (1995)
12 cm (largura)
Luciana Chagas

6.11.04

Raku

A queima de Raku produz na cerâmica resultados bastante peculiares. A peça passa por um processo de queima mais acelerado, sofre violento choque térmico no resfriamento e a ação da combustão da serragem, que provoca uma redução na argila e nos esmaltes. A redução se caracteriza pela diminuição do oxigênio presente na atmosfera da queima, provocando modificação na aparência final da argila, que torna-se negra, e na cor dos esmaltes.


As peças são tiradas do forno nesse estágio, ao atingirem a temperatura de 1.000 graus (ponto de fusão dos esmaltes de baixa)





Imediatamente, são jogadas sobre a serragem, incendiando-a com a própria temperatura.





Cobrimos as peças com mais serragem...




...e tampamos para que o oxigênio seja consumido.




Após alguns minutos, retiramos as peças usando uma grande pinça...




...e mergulhamos as peças na água, para completar o resfriamento.

Texto e fotos: Luciana Chagas

4.11.04

Portfolio (luminárias)




















Luminárias "Taças" - 2002
32 cm (altura)
Luciana Chagas
















Arandela "Globo" - 2003
28 cm (largura)
Luciana Chagas

31.10.04

Portfolio (torre)




















Torre (2003)
Luciana Chagas
43 cm (altura) cone 9 em oxidação






















Torre (detalhe)
Luciana Chagas

28.10.04

Esmaltes Cerâmicos

Esmalte

Os esmaltes cerâmicos ou vidrados são produtos minerais de resultado vitrificado, compostos basicamente de sílica. A sílica, ou óxido de silício (SiO2), é também a matéria prima do vidro. Como a sílica pura funde-se (derrete) aproximadamente a 1800 graus, os esmaltes cerâmicos contêm fundentes, ou seja, ingredientes que se fundem a uma temperatura mais baixa, para baixar a temperatura de fusão do esmalte.

Os esmaltes de baixa temperatura fundem-se entre 980 e 1100 graus. Suas receitas utilizam como fundente ativo o óxido de chumbo (PbO) e o Bórax.

Outro componente dos esmaltes é o estabilizante, que serve como controlador de viscosidade (para o esmalte não escorrer no forno). Utiliza-se a alumina (Al2O3).

Para dar cor ao esmalte são utilizados os óxidos metálicos, em diferentes proporções e misturas. Por exemplo, o óxido de cobre produz tons de verde, o óxido de cobalto produz tons de azul, o óxido de ferro produz tons do caramelo ao marrom, o óxido de titânio produz tons que variam do branco ao azul, etc.

A variação na proporção destes ingredientes é o que dá as características da aparência dos esmaltes, como brilho, opacidade, transparência, textura, cor, etc.

(texto de Luciana Chagas)


25.10.04

Vasos

Vasos (2003):

Luciana Chagas
Cone 8, tamanhos: 23 a 25 cm (altura)



Vaso Vermelho (2002):

Luciana Chagas
Cone 8, 18 cm (altura)

Vasos (2003):

Luciana Chagas
Cone 8, 17 a 20 cm (altura)

Vasos (2002):

Luciana Chagas
Cone 8, 18 a 20 cm (altura)

23.10.04

Garrafas

Série de garrafas (2003)


















Cone 9, forno elétrico.
Tamanhos: 22 a 27 cm (altura)




Garrafas da série anterior (2003):














Tamanho: entre 25cm e 30 cm (altura)


Garrafas (2003):